Amadurecer

Romântica, sonhadora, apaixonada. Essas são as primeiras impressões que as pessoas têm de mim, e quando me conhecem mais a fundo percebem que não estão enganadas. Eu acredito no amor. Acredito nas vibrações mais lindas e verdadeiras que ele transmite, em tudo que ele representa na vida das pessoas.

Desde pequeninha eu sonhava com os contos de fadas, amores proibidos, possíveis, impossíveis, realizados. Com apenas três anos eu já sabia a estória da Cinderela na ponta da língua, sentava num banquinho, cruzava as pernas, abria o livro de ponta cabeça enquanto fingia que o lia para os meus bichinhos de pelúcia. Com doze eu delirava com um amor platônico. Com quinze eu esperava encontrar meu príncipe encantado numa esquina qualquer da vida, trocar olhares, me apaixonar à primeira vista e viver feliz pra sempre.

Cresci um pouco, conheci pessoas, lugares, opiniões. Percebi o quanto é fácil construir uma vida cômoda, sem problemas, sem desafios, sem amor. Por sorte antes de me deixar levar, compreendi que de nada vale viver sem sentir calafrios pelo corpo, sem adrenalina, sem felicidade. Lógico que sei que contos de fadas não acontecem todos os dias na vida das pessoas, mas acontecem. Talvez os príncipes e as princesas não sejam tão perfeitos como nas fábulas, ou o ‘felizes pra sempre’ omita as adversidades que vão surgir pelo caminho, mas confio que o amor possa enfrentar tudo o que quiser.

Chame de ingenuidade ou criancice. Diga que eu sou nova, que ainda vou me decepcionar muito a ponto de desistir dos meus sentimentos, sonhos e ideais. Fale o que quiser, não me importo, mas também não entendo, não escuto.

Não me serve uma vida mais ou menos. Não me adianta um bom emprego, um amante qualquer. Puxa, essa é a minha vida. É a minha única chance de arriscar, de tentar, de ser feliz. Quero viver com toda a plenitude que eu conseguir, quero um coração puro o suficiente para valorizar cada pequeno detalhe dos meus dias. Quero amar com todas as minhas forças. Afinal, não há lugar mais seguro para estar do que os braços de quem a gente ama.

Se com o passar do tempo eu for me tornar uma amargurada sem fantasias, se eu for deixar de acreditar nos meus sonhos, não quero o tempo passe. Quero me congelar nessa fase da vida para sempre. Quero o coração totalmente preenchido, o peito repleto de suspiros, o estômago cheinho de borboletas. Quero não ter traumas ou medos.

Se com alguns anos e aprendizados a mais eu for perder o que eu mais gosto em mim, sinceramente, não quero amadurecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s