Magoar voluntariamente

Hora de virar a página, ensaiar o sorriso mais bonito, recompor o coração e ensiná-lo a bater novamente. Mágoas, rancores e decepções são deixados de lado na medida em que percebemos que o mundo não pára para esperar a gente acordar e decidir viver.

Tudo simples, nada fácil. Só quem cai e se machuca sabe o tamanho do seu ferimento, o tempo que levará para curá-lo, o quanto dói. Entretanto, confesse: impossível analisar nossas dores sem pensar nas pessoas que já magoamos mesmo que sem querer.

A namorada que você já não ama mais ou aquela que você nunca amou, o ex que volta para dizer o quanto gosta de você quando você já está em outra, a amiga que não quer apenas a sua amizade, a menina que gosta do mesmo menino que você, o companheiro que esperava que sua atitude fosse diferente. São corações que batem no triste descompasso de não serem correspondidos. Corações partidos por você e não há como negar.

Será que somos culpados por não gostarmos de quem gosta de nós? Somos brinquedos de machucar os outros por lutarmos pelo que queremos? Por sentirmos diferente?

Podemos admirar e amar cada pessoa de uma maneira, do nosso jeito, e nem por isso devemos ‘ser felizes pra sempre’ ao seu lado. Se falta o arrepio que nos entorpece o corpo inteirinho com uma simples troca de olhares ou a taquicardia que torna o ar rarefeito quando as peles se tocam, não há o que fazer além de dar liberdade paro outro buscar seu verdadeiro amor. Ninguém quer ser amado por obrigação.

Somos capazes de qualquer loucura pra proteger nossos amigos especiais de lágrimas ou frustrações. No entanto, há situações em que torna-se inevitável não decepcioná-los e ferimos sim seus sentimentos. Pensamentos conflitantes, desejos coincidentes. Ninguém escolhe por quem vai se apaixonar.

Diante das pegadinhas do destino nos restam apenas duas alternativas: ou nos intitulamos monstros e traidores porque nos permitimos a viver de acordo com nossas vontades, ou seguimos o caminho aparentemente mais fácil abdicando de nossos ideais e, porque não, da nossa felicidade para não machucar ninguém além de nós mesmos e nosso amor.

Não acredito que possamos magoar voluntariamente as pessoas que amamos. Porém, de uma forma ou de outra algum dia magoamos. Se foi de propósito ninguém pode nem deve julgar. Não há boa intenção que atenue uma dor de amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s