Desencanada

Às vezes me pego lembrando da risada da minha mãe ao dizer que gostaria de ser tão despreocupada quanto eu. É só eu olhar e soltar um ‘calma, vai ficar tudo bem’ e ela logo começa a rir.

‘Ô vida boa!’, ela dispara. Nada de stress ou preocupações, eu sei que ela pensa. Mas a verdade é que mesmo que nem tudo seja tranqüilo e nem todos estejam dispostos a ajudar, a vida segue. Se eu não continuar tocando a minha, ninguém vai fazer por mim. Disso estou certa.

Cresci convivendo com pessoas que fazem questão me lembrar a todo momento que eu não sou boa o suficiente para fazer o que eu gostaria. Dia desses um dos meus tios resolveu enfatizar a inteligência dos meus primos e dizer implicitamente o quanto eu sou burra. Quando eu disse que havia decidido cursar Jornalismo, um amigo logo me aconselhou: ‘Acorda! Para ser jornalista você precisa ser bonita!’. Como se um espelho fosse necessário para escrever, para transmitir uma verdade. E esses foram apenas alguns dos muitos incentivos. Sei bem o quanto as pessoas podem ser cruéis quando querem.

Já até cansei de ouvir que sou gorda ou que meu peito é grande demais, que tenho isso ou aquilo de menos, que meu rosto é assim, meu corpo é assado. Que não sou bonita, não sou esperta, não sou nada. Também já me perguntei muitas vezes o que interessa aos outros o número meu manequim, o tamanho do meu sutiã ou do meu QI. Mas aprendi que mesmo que não importe, sempre vai existir alguém afim de comentar. A mim resta escolher entre me importar e enlouquecer, ou desencanar. E eu fico com a segunda opção. Porque eu posso ser tortinha aqui, ter um defeito acolá, mas gosto de mim assim, exatamente como eu sou.

Não é que eu não tenha preocupações, que nada me atinja ou me machuque. Às vezes incomoda, ninguém é de ferro. Entretanto, acredito que problemas não se resolvem sozinhos, ficam latentes até que a gente decida se mexer e agir. Quanto mais tranqüilos estivermos melhor será o resultado.

Para evitar aborrecimentos com o povo maldoso que anda solto por aí, criei meu próprio filtro. Baixo-astral, pessimismo e, principalmente, pessoas que vão gostar mais de mim se eu emagrecer uns quilinhos, tirar um pouco de peito ou nascer de novo mais bonita e inteligente, eu mantenho bem longe de mim. Pode me chamar de desencanada e até de irresponsável: minha saúde agradece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s